domingo, 17 de abril de 2011

Tudo o que o homem semear, isso também ceifará

O capítulo 6 do Livro de Gálatas é tremendo. Nos ensina o quanto devemos caminhar juntos, e não individualmente. A maior dificuldade da humanidade é caminhar em grupo. O ser humano se torna a cada dia um ser cada vez mais individual. É difícil confiar nas pessoas; é difícil depender das pessoas; é difícil saber que, muitas coisas que temos que fazer depende da vontade dos outros. Quase sempre estamos diretamente ligados à vontade de alguém, às ações de alguém, à vida de alguém, mas teimamos em caminhar sozinhos.

O versículo 2 diz para levarmos “as cargas uns dos outros” porque assim cumpriremos “a lei de Cristo”. Ora, a “lei de Cristo” é que Ele “tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; (Isaías 53:4). Segundo a Palavra do Espírito Santo de Deus, devemos carregar as cargas uns dos outros, porque Jesus as carregou primeiro, sendo o maior dos exemplos.

Se Jesus não tivesse carregado sobre si a nossa carga, não suportaríamos o peso: “Visto que as nossas transgressões e os nossos pecados estão sobre nós, e nós desfalecemos neles, como viveremos então?” (Ezequiel 33:10).

Mas ninguém quer carregar a carga de ninguém. Muitos são os que querem ajudar o seu próximo, é bem verdade, mas sem tocar na carga do seu irmão; sem carregar junto a carga do seu irmão; sem compartilhar o peso da carga do seu irmão. Porque muitos são os que ajudam, mas o fazem de longe, de forma a se enganarem a si mesmos: “Porque, se alguém cuida ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo. Mas prove cada um a sua própria obra, e terá glória só em si mesmo, e não noutro. Porque cada qual levará a sua própria carga.” (Gálatas 6:3-5).

Às vezes, pagar a conta de luz de um irmão impossibilitado de faze-lo, é ajudar a carregar a carga dele. Mas muitos se escondem atrás de desculpas para não faze-lo, dizendo que se pagarem a conta de luz do irmão, estarão privando o irmão de lutar por si mesmo; ou estarão impedindo que o irmão exercite sua fé; ou simplesmente acreditam que, pagando a conta do irmão, estarão contribuindo para que ele se torne um “vagabundo”, ou coisa pior.

A grande maioria dos cristãos não segue a “lei de Cristo” que diz simplesmente “levai as cargas uns dos outros”, sem desculpas esfarrapadas; sem se esconder do compromisso; sem se acovardar da responsabilidade diante do Senhor e, acima de tudo, sem se enganar a si mesmo.

Cumprir a “lei de Cristo” não é fácil, mas nos garante superação diante das adversidades, se estivermos debaixo dos ensinamentos do Espírito Santo de Deus, porque diz a Palavra do Senhor que “tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7). Esta é uma lei natural, pois não há como semear milho, e colher feijão; não há como semear ódio, e colher amor; não há como semear trigo, e colher arroz; não há como semear traição, e colher fidelidade; não há como semear mentira, e colher verdade; não há como semear desavença, e colher união...

A Bíblia nos ensina que “o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna” (Gálatas 6:8), e nos exorta para não nos cansarmos de fazer o bem, “porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido” (Gálatas 6:9). Quão penoso e grandioso é cumprir a “lei de Cristo”, e quão grandioso é cuidarmos em não desfalecer para ceifarmos o bem que praticamos!

Conforme diz a Bíblia, devemos começar pelos nossos, pelos irmãos de fé (Gálatas 6:10), mas é dentro das próprias igrejas onde esta Palavra ainda não foi entendida em sua Plenitude, porque Grande é o Espírito que a inspirou, e Poderoso o Deus dos Exércitos para faze-La cumprir.

Lideranças cristãs estão se deixando corromper e estão corrompendo os discípulos do Senhor. Certo é que prestarão conta de suas boas ações, quanto mais das más ações que descuidadamente se deixam praticar. “Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos” (Mateus 22:14), e quantos escolhidos têm envergonhado a face do Senhor?

O escolhido é uma liderança diante dos discípulos de Jesus Cristo. Pode ser um Líder de célula; pode ser um pastor; pode ser um apóstolo. E quantos estão deixando de carregar as cargas uns dos outros? E quantos estão mais preocupados com seus negócios do que com as dificuldades enfrentadas por seus irmãos na fé? Quantos são os que verdadeiramente poderiam repartir, mas preferem ajuntar para si? Quantos são os que poderiam abençoar o seu irmão repartindo seus bens, mas preferem deixa-los amontoar em um cômodo da casa, ou no banco...

As igrejas preparam estratégias, muitas delas inspiradas pelo Espírito Santo de Deus, para trazer as multidões. A multidão vem faminta não apenas da Palavra de Deus, mas também de pão, e quem tem fé o suficiente para multiplicar o pão e os peixes? Quem está disposto a ocupar o cargo de fazer os grandes milagres que vão salvar as almas? "Aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas" (João 14:12).

Arnaldo B. T. Martins - Discípulo do Senhor Jesus - Célula "Servos do Altar" - Líder: Israel - Pimenta Bueno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário